GONÇALO BYRNE ARQUITECTOS
 

Santo domingo, dominican republic

2015

 

Rehabilitation of the San Francisco Convent Ruins and Surrounding Area

The intervention comprised two objects: a master plan for the historic centre (including the arrangement of the main public square Plaza de España and the completion of a pathway along the ancient city wall) and the rehabilitation and conversion of the ruins of the Convent of San Francisco into a Cultural Centre and Archaeological Museum.

The ruins of the Convent of San Francisco are located in the historic centre of the city of Santo Domingo and are part of a vaster system of convents that once founded the colonial city, allowing us to understand today the evolution of the city itself. Any architectural intervention implies a broader understanding of the city, which has expanded along an urban damero where the moments of exception were occupied by the military system or by the conventual system, prevailing the capacity of the place of generating city from an urban redefinition of the emptiness it comprises. The proposal seeks to redefine the block of the urban damero, that corresponds to the former convent, enhancing its system of voids with the origin at the ancient cloister. 

The new cloister (at the location of the ancient one) gives birth to a new order organising the different surrounding spaces, and, in its extension, converts itself into an open central axis that structures the archeological park along a series of elevated paths from which the remains can be seen, such as that of the city’s first water distribution system founded in this place. History is unveiled through the form. The archaeological park is covered by a structure of light ceilings with tropical flora to temper the climate, allowing at times to let the sun and the rain get in.

The ruins of the Church and the Third Order Chapel are completed in a contemporary language, without losing their identity. It is proposed to consolidate the original pieces and to extend them with a material of similar colour (although different from the existing stone to mark the difference of the centuries and to recover a certain proportion), culminating in a wood and glass covering, where the light would rest quietly on the traces.

The Cultural Centre reassumes the former central position of the convent within the urban system. The intervention contaminates the surrounding city, redefining the streets of the historic centre, which culminate in the cultural centre, and setting in motion a wider urban renewal operation with the creation of a large public space open to the city. In the Northside, the Plazoleta de San Antón acts as an extension of the auditorium with the capacity to host open-air events, and it is connected to the pathway that links the ancient city doors along the wall that once delimitated the colonial city. 

At the end, the proposal holds a dual aim: on the one hand, it asserts itself as a historical condenser, unveiling not only the identity of the ruins themselves, but also the historical evolution of the city, at a moment when both are intricate, and, on the other hand, it develops from the simultaneous idea of being a catalyst and city generator. 

 
 

Português

 As ruínas do Convento de São Francisco situam-se no centro histórico da cidade de Santo Domingo, fazendo parte de um sistema de conventos responsáveis pela fundação da cidade colonial, permitindo, por conseguinte, compreender a evolução da própria cidade. Uma intervenção arquitectónica nas ruínas implica, necessariamente, essa leitura mais vasta sobre a cidade, que se estendeu sob a forma de um damero urbano, em que os momentos de excepção foram ocupados ora pelo sistema militar, ora pelo sistema conventual, prevalecendo, ainda, essa capacidade do lugar (deste projecto) de gerar cidade a partir de uma redefinição urbana do vazio que compreende.  

O projecto assume, desta forma, uma dupla função: por um lado, afirma-se como condensador histórico, desvelando não só a identidade das próprias ruínas, como a evolução histórica da cidade, num momento onde ambas se intricam, e, por outro lado, desenvolve-se a partir da ideia simultânea de catalisador e gerador de cidade. A intervenção procura redefinir um importante bloco do damero urbano, a partir do sistema de cheios-vazios deste, ligando os vários elementos do convento, que ainda restam, e o espaço vazio do parque arqueológico, através de um sistema de tectos que alternam entre uma estrutura extremamente leve, a vegetação que dá vida a um jardim tropical e o vazio do céu que deixam perpassar. Ao mesmo tempo, a intervenção expande e contamina a cidade envolvente, redefinindo as ruas da cidade colonial, que aí culminam, colocando em movimento uma operação mais vasta de reabilitação urbana com a criação de um imenso espaço público aberto à cidade. 

As ruínas completam-se numa linguagem contemporânea, sem perderem a sua identidade, inseparável do sistema urbano, fazendo convergir, na nave da igreja, várias entradas distintas. Uma, rematando o eixo da Plazoleta de San Antón, que dá acesso directo ao centro de eventos, e, outra, evidenciando a entrada primitiva do Convento, onde se pode observar, ainda, o escudo da Ordem Franciscana rodeado por um robusto cordão, expressão da arquitectura colonial dominicana. A partir da nave da igreja, acede-se, igualmente, aos diferentes espaços do museu, parque arqueológico, jardim, restaurante e restantes espaços de apoio.

As ruínas da capela da Ordem Terceira demonstram uma enorme qualidade espacial que se deseja acentuar, utilizando esse espaço magnífico para restaurante. Propõe-se consolidar as peças originais e prolongá-las com um material de cor semelhante, porém diferente da pedra existente, para assinalar a diferença dos séculos e resgatar uma certa proporção, culminando numa cobertura de madeira e vidro, em que a luz, no espaço, pousa, silenciosamente, nos vestígios. Na igreja, a proposta é semelhante: completam-se as paredes, prolongando os arcos e, onde estaria a cúpula, um tecto de vidro transforma o espaço em poço de luz, trazendo o céu para o interior. 

Contudo, o grande vazio até ao céu é o claustro primitivo, concentrando-se o restante programa em redor deste. O claustro do Convento é entendido como gerador e distribuidor de espaço, o coração do convento e uma caixa de luz, um vazio cêntrico a partir do qual se cria uma regra, convertendo-se, na sua extensão, num eixo central aberto sobre o parque arqueológico e num jardim tropical onde se podem identificar e compreender os vestígios arqueológicos, tais como o do primeiro sistema de distribuição de água da cidade, que ali teve origem. Este grande eixo central agrega e articula várias funções: prolonga o vazio do claustro primitivo, une todos os espaços, e contém um jardim tropical, que tempera o clima e deixa entrar, de modo controlado, o sol e a chuva.